25 de abril de 2013

Não sinta vergonha de cuidar de quem você ama!

Reflexão do dia

gdefonAguardando um paciente na sala de espera de uma clínica, escutei o relato de uma moça, sobre os problemas de saúde do seu cachorro com 4 anos de idade. Logo depois ela reparou na logomarca do TNPets no meu jaleco e me perguntou sobre minha especialidade. Comentei casualmente que trabalho com nutrição clínica e que prescrevo dietas balanceadas para animais saudáveis e para os doentes que precisam de dietas especiais.  Ela questionou a necessidade de um profissional desta área já que existem tantas rações normais e terapêuticas. Expliquei sobre animais que rejeitam ou são intolerantes/ alérgicos aos produtos industrializados, mas também falei que muitos donos PREFEREM dar um alimento mais fresco, porque alem de mais barato que uma ração terapêutica, ele é isento de aditivos químicos e de processamento excessivo. Comentei também que quando adequadamente balanceado, ele pode prevenir doenças e dar maior longevidade.

A resposta: “nossa, imagino que seja mais saudável, mas deve ser pra quem tem tempo, porque eu trabalho, tenho minhas coisas para fazer, não tenho tempo pra ficar co-zi-nhan-do para o Bob.” e terminou dando uma risada.

avivas ruNesse momento, eu pensei: melhor gastar 1-2 horas preparando um alimento saudável que vai durar 10-15 dias, cuidando e praticando a medicina preventiva, do que gastar 1-2 horas/ por semana na clínica, tratando do meu pet que sofre com doença crônica aos 4 anos de idade.

Mas o que me incomodou, não foi ela acreditar que não valia o seu tempo, afinal, essa é a realidade da maioria das pessoas que também optam por ignorar as recomendações sobre alimentação saudável por “falta de tempo”. Não é nenhuma novidade.

O que me deixou chateada foi ela ter se referido a “cozinhar para o Bob” como se fosse um cuidado supérfluo/ excessivo, como comprar uma bolsa de marca para servir como bolsa de transporte de um gato ou mini-cão.

Será que as pessoas teriam vergonha de dizer que co-zi-nham para seus pets?

Concordo que não é para todos. Tem pessoas que odeiam estar na cozinha e não tem a menor afinidade com ela. Mas o que tem de excessivo ou supérfluo em cuidar bem de um ser que está sob sua responsabilidade? O que tem de errado em evitar uma viagem de lazer pois seu gatinho ficou muito doente e precisa de cuidados especiais? O que tem de errado em chegar cansado e levar o seu cachorro para passear, já que você sabe que ele ficou esperando por isso o dia inteiro? O que tem de errado em dar um alimento caseiro, se você também acredita que isso pode dar mais saúde e aumentar sua longevidade? Acredito que os valores das pessoas hoje em dia estão no lugar errado. EU não considero cuidar bem de quem eu amo excessivo ou supérfluo.

eu e bicho

Ninguém é obrigado a ter um animal de estimação, mas uma vez que você optou por isso, você também optou por ser 100% responsável por ele, pela sua saúde e pela sua qualidade de vida. E sabe de uma coisa, eles nos dão tanta alegria e amor, que esse cuidado se torna um prazer.

Essa passagem define bem isso:

Tem gente que não acredita em anjo. Eu acredito! Muitos não os reconhecem, isto porque suas asas são invisíveis. Uns são mais peludos que os outros; uns são mais brincalhões, mais arteiros…Tem os mais comilões; tem os mais bagunceiros…Uns são babões; mas em geral, somos nós que babamos por eles. Eles nos fazem sorrir quando estão conosco, mas nos fazem chorar quando vão embora, para o lugar de onde vieram. Afinal, eles são anjos e estão aqui para ensinar aos homens o verdadeiro sentido da palavra amor. ” Sabrina Jung.

areia

Vamos disseminar a semente do bem?

Uma boa semana à todos!

Sonali Rebelo
Médica Veterinária – CRMV RJ 10952
Nutrição Clínica

Imagens:

1. www.gdefon.com
2. www.avivas.ru
3 e 4. Arquivo pessoal

Compartilhe nas Redes Sociais