Tendências Naturebas Pets

Mixuruca

"Nutrição e medicina preventiva de cães e gatos"

CÁLCIO – Curso intensivo para adeptos mais avançados

Cálcio é um importante mineral que não pode ficar em desequilíbrio na dieta do seu pet.  Em rações industrializadas, este mineral já é suplementado, portanto fontes extras não devem ser oferecidas. Já em dietas caseiras sem a oferta de ossos crus, uma fonte de cálcio na quantidade correta não deve faltar.

No entanto, está não é a realidade do que vejo por ai…

Mas antes de aprender a suplementar o cálcio, precisamos entender como ele se relaciona com o fósforo e porque essa dupla precisa estar em equilíbrio.

angelfirecom

Imagem: adaptado do angelfire.com

Cálcio

A principal função do cálcio é mineralizar ossos e dentes. Mas ele também é importante na transmissão de informações entre células e impulsos nervosos.  Atua na coagulação sanguínea, no crescimento e contração muscular, na liberação de energia das gorduras.  Ela opera na permeabilidade celular e mantém a saúde da pele. O cálcio é um dos minerais mais importantes para o organismo, pois atua na sua estrutura e no seu funcionamento.

Sinais de deficiência: fraqueza, desmineralização e enfraquecimento de ossos, deixando-os suscetíveis a pequenas fissuras e fraturas, mandíbula de borracha.  Se ocorrer durante a gestação pode ocasionar eclampsia (complicações caracterizadas por convulsões).

Sinais de Toxicidade: em filhotes em crescimento pode levar a anomalias ósseas e articulares e ao retardamento do crescimento. Em adultos, o excesso é eliminado nas fezes e na urina. Quando está nos intestinos ele pode interferir na absorção de fósforo e outros nutrientes. Quando na urina, ele pode suscetibilizar o animal a produzir cristais e cálculos em urinas saturadas.

Fósforo

O fósforo é necessário para quase todas as células do corpo, pois está presente em seu núcleo, fazendo parte do seu DNA e RNA. Ela atua no crescimento, na reparação, reprodução e manutenção dos tecidos. Ele também influencia no pH sanguíneo, no funcionamento do sistema imunológico e na função renal. Em conjunto com o cálcio, ambos minerais são necessários para manutenção da estrutura dos ossos e dos dentes. Ele auxilia vitaminas do complexo B durante reações bioquímicas necessárias para obtenção de energia de gorduras e de carboidratos.

Sinais de deficiência: falta de apetite, fadiga, ossos frágeis, desordens nervosas. Mas a deficiência é rara.

Sinais de toxicidade: diminuição da absorção de cálcio e todas as deficiências conseqüentes a isso.

 O cálcio e o fósforo são conhecidos como minerais essenciais, pois estão envolvidos intimamente na manutenção estrutural do organismo e em reações bioquímicas de processos metabólicos. Em muitos destes processos bioquímicos, o fósforo se liga ao cálcio, diminuindo sua concentração no sangue.

→ Quando a dieta está equilibrada nestes dois minerais, o corpo consegue manter a proporção de cálcio e fósforo correta, sem prejuízos ao organismo, pois não ocorre deficiência de cálcio para suas outras funções.

→ Quando a dieta é rica em fósforo e pobre em cálcio, o fósforo sequestra rapidamente grande parte do cálcio sérico, diminuindo sua concentração no sangue. O organismo, no entanto, precisa manter a proporção de cálcio e fósforo, pois precisa que o cálcio esteja disponível para outras funções e, para compensar essa baixa concentração, acaba roubando o cálcio de locais de maior deposito – os ossos, e assim ocorre a desmineralização óssea.

→ Quando a dieta é rica em cálcio e pobre em fósforo, o mesmo ocorre, porem o cálcio sequestra o fósforo, que fica indisponível para as suas outras funções.  Apesar de ser rara essa deficiência em animais carnívoros, ocorre frequentemente em animais com dietas pobres em proteína animal ou vegetarianas,  pois o fósforo encontrado em grãos e vegetais não é muito biodisponível para animais carnívoros. Por este motivo não é aconselhado alimentar filhotes, gestante, lactantes ou animais que sofreram de fraturas ósseas com dietas vegetarianas ou pobres em proteína animal.

Alguns pontos importantes a considerar quando utilizar suplemento de cálcio:

1) Respeitar a proporção de cálcio: fósforo do alimento (0.9 – 1.1:1 para gatos e 1.2 – 1.4:1 para cães).

2) Respeitar a necessidade diária do animal, que depende da idade e da condição de saúde que ele apresenta.

3) Levar em consideração a composição da dieta, uma vez que alguns alimentos interferem na absorção do cálcio.

4) Não suplementar demais, pois o cálcio também interfere na absorção de muitos outros nutrientes essenciais (ex. ferro).

5) Filhotes são especialmente sensíveis ao excesso de cálcio, que pode levar a deformidades em seu esqueleto.

6) Gestantes necessitam de dietas mais ricas em cálcio pelo risco de eclampsia durante o parto.

7) Pets enfermos podem necessitar de quantidades diferentes de cálcio e fósforo.

Portanto, se seu pet saudável não consome seu cálcio e fósforo contido nas presas, que contêm esses nutrientes na proporção ideal (ossos + carne + vísceras = a natureza não é o máximo?!) e se você optou por preparar o alimento do seu pet saudável em casa, vale a pena verificar se você está respeitando os 4 primeiros pontos mencionados acima e se a necessidade de cálcio está sendo suprida, para não ocorrer uma deficiência.

Vamos olhar para as diferentes modalidades de alimentação de cães e gatos e verificar a necessidade de suplementação de cálcio:

Rações industrializadas: 

dogfood.comImagem: dogfood.com

NÃO! Rações contêm quantidades suficientes de cálcio em suas fórmulas e, por este motivo, se seu animal se alimenta com ração, NÃO suplemente o cálcio sem indicação veterinária. Lembrem-se de que o excesso de cálcio traz muitos prejuízos à saúde.

Alimentação Natural (AN) crua contendo ossos crus (CV, Prey, RMB, BARF):

SONY DSC

Arquivo pessoal

NÃO! AN crua conta com a oferta regular de ossos carnudos crus. Os ossos, em quantidades corretas, fornecem quantidades suficientes de cálcio e por este motivo não existe necessidade de suplementação extra.

Alguns  ossos comumente ofertados como “ossos carnudos”  CRUS:

Frango: cabeça sem bico, pescoço, asas sem unha rudimentar, coxinhas da asa, coxas, sobrecoxas, ossos do meio do peito, dorso/carcaça de frango, pés. (é preferível optar por frangos mais jovens)

Peru: pescoço, cabeça.

Porco: suan suíno (retalho de vértebras), costela e retalhos.

Boi: peito de boi, rabada, costela 

Recomendações:

– Ossos carnudos são ossos que seu pet conseguirá consumir completamente. Escolha os ossos de acordo com o porte e as habilidade do seu pet carnívoro.

– Ossos de fêmur ou patela de boi, não são bons ossos carnudos ou recreacionais.  Por serem muito duros, podem causar fraturas nos dentes do seu pet.  Evite-os.

– Independente da modalidade de Alimentação Natural (CV, Prey, BARF, RMB) respeitem a percentagem de ossos carnudos.  Levando em consideração que “ossos carnudos” são ossos que contêm carne ainda aderida ao osso com uma proporção de 1:1.  Ou seja, metade é osso e metade é carne. Um exemplo de osso carnudo na proporção perfeita: asas de frango, pescoço de frango. Para entender melhor clique aqui (em breve).

– NUNCA, JAMAIS ofereça ossos cozidos, assados, “aferventados”, defumados ou que passaram por algum outro tipo de aplicação de calor.

Ossos crus contêm colágeno, tornando-os flexíveis e são facilmente digeridos por carnívoros, já ossos cozidos são extremamente perigosos, pois podem causar perfurações e obstrução intestinal.

Para entender melhor clique aqui.

Dieta caseira cozida:

dieta cozida_50p

SIM! Uma dieta caseira balanceada conta com uma suplementação de cálcio.

1)   Casca de ovo em pó: a casca de ovo é uma fonte econômica e super biodisponível de carbonato de cálcio e outros minerais. É possível preparar em casa com cascas de ovo que normalmente seriam descartadas ou  pode ser adquirida em algumas lojas de produtos naturais. Clique aqui para aprender como preparar o pó de casca de ovo em casa. ½ col. (chá) de pó de casca de ovo = 900mg carbonato de cálcio + outros minerais

2)    Cálcio manipulado ou comercializado: carbonato de cálcio, citrato de cálcio, lactato de cálcio.

3)   Concha de ostra, dolomita: também são fontes de carbonato de cálcio, mas estes podem estar contaminados com chumbo e outros metais pesados e podem não ser seguros como fonte de cálcio para seu pet. Se for utilizar, procure por marcas idôneas que atestem que não há contaminação por metais pesados.

4)   Farinha de ossos: (não é a de jardinagem!!) não recomendo a utilização se não for de marca idônea e que atestem não estar contaminado com metais pesados. Suplemento contém quantidades significativas de cálcio e fósforo. A dosagem varia de acordo com o produto. Algumas opções podem ser adquiridas aqui

5)   Farinha de peixes: é uma fonte rica em cálcio, mas também é rica em proteínas. Por este motivo não conta como suplementação de cálcio sem um balanço adequado dos ingredientes utilizados.

Dosagem para animais adultos e saudáveis: 

800 – 1000mg de carbonato de cálcio ou similar para cada 500g de comida sem ossos crus ♣.

♣ Somente se a dieta caseira estiver balanceada e se for composta por 50% ou mais de proteína animal.

Este valor pode mudar em casos de:

– Filhotes –  estes valores podem mudar em função do porte da raça.

– Dietas contendo menos de 50% de proteína animal.

– Dietas ricas em grãos e vegetais.

– Dietas muito ricas em gorduras.

– Dietas para condições clínicas diversas.

Não suplemente sem orientação veterinária.

dica tnpets

Observação: Valores de bioquímica de cálcio sérico somente mostram redução quando já existe uma grave deficiência de cálcio.

Uma dieta caseira pode ser maravilhosa para a saúde do seu pet. Além de trazer muito mais alegria na hora das refeições, se adequadamente balanceada, ela respeita o carnivorismo das espécies e traz uma infinidade de nutrientes naturais que dificilmente ele conseguiria em um produto industrializado. Se você realmente quer substituir o alimento industrializado do seu pet, faça isso corretamente ou procure assistência. Não corte caminho, pois a saúde do seu pet é sua responsabilidade. Vamos fazer direito? :)

Referências:

Nutrient Requirements of cats and dogs – NRC
Small Animal Clínica Nutrition
Nutrição canina e felina – manual para profissionais

Um forte abraço a todos e muito obrigada por visitar!

Sonali Rebelo
Médica Veterinária – CRMV RJ 10952
Nutrição Clínica

Compartilhe nas Redes Sociais